Glossário

  1. A
  2. B
  3. C
  4. D
  5. E
  6. F
  7. G
  8. H
  9. I
  10. J
  11. K
  12. L
  13. M
  14. N
  15. O
  16. P
  17. Q
  18. R
  19. S
  20. T
  21. U
  22. V
  23. W
  24. X
  25. Y
  26. Z


Babydoll

Fifi Chachnil Camisola lançada na década de 50, popularizada pelo filme Boneca de Carne (Baby Doll, 1956). O babydoll lembra as roupas íntimas infantis do século 19.

Bandana

bandanaDo hindi bandhnu, método primitivo de tintura de tie-dye. O nome foi dado aos lenços grandes de cores vivas, feitos mediante esse processo. As bandanas usadas por caubóis do oeste americano costumavam ser pedaços de pano bem simples, tingidos de uma só cor, podendo ser usados em volta do pescoço ou puxados sobre o queixo, a boca e o nariz, como proteção contra a poeira ou para esconder a identidade. Amarradas ao pescoço, as bandanas foram usadas por baixo de camisas nas décadas de 50 e 60, principalmente nos Estados Unidos, quando as roupas de caubói entraram na moda.

Basque

basquePequeno saiote costurado ao corpete de um vestido ou de um casaquinho. A basque é pregueada ou franzida junto à barra do corpete.

Bata

bataNa Idade Média, a bata era uma peça solta, que ia até os joelhos ou o meio da canela, de algodão ou linho e usada pelas mulheres sob o vestido. Era também conhecida como camisa íntima. Nos séculos 18 e 19, transformou-se em peça externa, semelhante a uma camisa, sendo usada por agricultores e também servindo de camisola. No final do século 19, as mulheres começaram a usar vestidos-batas feitos de algodões finos e cambraia como alternativa às formas rígidas e espartilhadas da época. Na mesma época, as batas começaram a ser usadas por artistas plásticos. Tem estado na moda desde a década de 40, principalmente na de 70, quando foi divulgada pela estilista Laura Ashley.

 

 

 

Boá

boa

Estola comprida, feita de plumas ou de pele. No final do século 19 e no início do século 20, boás de plumas, principalmente de avestruz, foram muito usados. Voltaram à moda nas décadas de 30 e 60 e até hoje são um recurso bem humorado de estilo.

 

Boca-de-sino

Boca de sinoTradicionalmente, calças de marinheiro que eram cortadas em forma de sino desde o joelho até o tornozelo. Na década de 60, uma versão da boca-de-sino, conhecida como pata-de-elefante, com o tecido aderindo à coxa e abrindo-se a partir do joelho, tornou-se muito popular, tanto para homens quanto para mulheres.

 

Boina

Faye Dunaway Gorro macio e circular que teve origem na Grécia ou na Roma antiga. As boinas foram muito populares na década de 1880, adornadas com flores, plumas e fitas, e também durante as duas guerras mundiais, quando o elástico para chapelaria esteve escasso. No final da década de 60 e 70, ocorreu o mais marcante retorno dessa peça, em parte suscitado pela boina que a atriz Faye Dunaway usava no filme Uma Rajada de Balas (Bonnie and Clyde, 1967).

 

Bolero

boleroCasaco curto de origem espanhola, com comprimento quase chegando à cintura. No início do século 20, os boleros eram usados com blusas de gola alta e saias longas. Ressurgiu nas décadas de 60 e 70, sendo trajado com saias ou calças. Desde então, os boleros ganharam as mais diversas interpretações e estilo e se tornaram um recurso criativo também para looks diários.

Bolsa Birkin

Bolsa Birkin, da Hermès/Foto ReproduçãoDizem que durante uma viagem de avião, em 1981, o conteúdo da bolsa enorme que Jane Birkin carregava espalhou-se perto de Jean-Louis Dumas-Hermès, que teve uma ideia. Três anos mais tarde, ele apresenta uma bolsa inspirada em um modelo de 1892, semelhante a uma sacola grande, perfeita para acomodar o estilo de vida de mulheres modernas como Jane.

Bolsa Chanel 2.55

Chanel 2.55/Foto ReproduçãoBolsa de matelassê com alça dupla de correntes e os clássicos Cs entrelaçados formando o fecho. Coco Chanel lançou a bolsa em fevereiro de 1955, daí o nome. Cada detalhe remete a uma história de Chanel. O forro marrom, por exemplo, é a cor dos uniformes do convento onde foi criada. O bolso interno com zíper, o lugar onde escondia as cartas de amor. O da parte de trás, recanto do dinheiro extra. As alças de ombro, que também podem ser usadas atravessadas no corpo, foram escolhidas porque Chanel considerava extremamente feminino ter as mãos livres.

Bolsa hobo

 Bolsa hobo assinada por Balenciaga

O modelo é molengo, espaçoso e se envolve ao corpo. Ganhou este nome por ser semelhante as de tecido usadas por vagabundos - hobos, em inglês. Tem espírito boêmio, informal e discreto. A da foto é Balenciaga.

Bolsa Jackie O.

Bolsa Jackie O,, da GucciFoi Jackie Onassis, um ícone de estilo, fez tão famosa esta bolsa que a Gucci acabou dando ao modelo o nome da então esposa do armador grego - antes chamava-se Constance. Reza a lenda que depois que Jackie aparaceu com a bolsa, que usava com frequência nos anos 60, as mulheres invadiram as lojas Gucci procurando a dita. Também é conhecida como “bouvier”, nome de solteira da ex-primeira dama dos Estados Unidos. 

Bolsa LV Speedy

LV Speedy/Foto ReproduçãoA bolsa mais icônica da Louis Vuitton foi criada em 1933. A LV Speedy, também chamada de bolsa médica pela semelhança com as usadas por esses profissionais, pode ser encontrada com o monograma clássico, em couro simples ou em padronagens como o xadrez Damier. Está à venda em três tamanhos: Speedy 25 (25cmx18cm), Speedy 30 (30cmx20cm) e Speedy 35 (35cmx23cm). O padrão 30 é o mais popular.

Botas Courrèges

Bota original de CourrègesFeita de pelica, couro de novilho ou verniz brancos, essa bota muito copiada foi lançada na década de 60 por André Courrèges, estilista francês que participou do movimento futurista da moda. Chega ao meio da canela, possuindo aberturas na parte superior do cano e um laço ou pingente na frente.

Boyfit

Paletó Stella McCartneyModelagem ampla que sugere uma peça “roubada” do guarda-roupa masculino. As calças foram a primeira a ganhar o título, seguidas dos paletós e blazers de proporções maiores, como os popularizados pela estilista inglesa Stella McCartney.

Brogue

brogueSapato resistente originário da Escócia e da Irlanda, como peça inteiriça de couro cru, amarrado por um cordão. O brogue do século 20 é um sapato de amarrar, com salto baixo e de couro costurado.