Olaplex, o sonho do platinado perfeito
21 de Agosto de 2015 . Por Fernanda Cassel

Para quem descolore o cabelo, pode-se dizer que a vida fica dividida em dois períodos, AO e DO, ou seja, Antes de Olaplex e Depois de Olaplex. No caso da maioria das brasileiras, vive-se ainda no período AO, pois esse milagre que venho a compartilhar com vocês permanece uma raridade por estas bandas.

Vou explicar como eu conheci o Olaplex com uma pequena história. Sou loira natural, fui brevemente morena e me mantive ruiva pelos últimos três anos, e, este ano, passei a ter uma vontade “pinicante” de colorir o cabelo com uma tonalidade pastel (mais especificamente, um tom pêssego, bem mimoso). Mas acontece que, para as tonalidades pastel penetrarem nos fios, a base precisa estar clarinha, clarinha, ou seja: tem que descolorir, amiga. Aí entra um detalhe que eu omiti: o meu cabelo é muito fino. Segundo o meu cabeleireiro (oi, Léo!), é tal qual cabelo de bebê. Se sinto cheiro de descolorante, já quebra, de medo. Por isso, infelizmente, descartei a possibilidade de ter cabelo cor de lingerie dos anos 30 (imagina que luxo?).

fotos-reproduciaifo-internet

Quem sabe um dia...

Fui convertida novamente ao mundo dos cabelos tom pastel graças ao Instagram, quando comecei a seguir o perfil do americano Guy Tang, um mago dos cabelos coloridos. Volta e meia o moço mencionava que as transformações postadas - por vezes de cabelos judiados de coloração virando sedosos platinados  - são realizadas com o uso de um tal de Olaplex, que descolore e trata o cabelo ao mesmo tempo. Me mandei para o Google. “Olaplex funciona como?“, “Onde comprar Olaplex?“, “Por favor me diz que existe Olaplex em Porto Alegre!“. O Google respondeu.

Guy Tang e o toque de midas capilar

Guy Tang e o toque de midas capilar

Foto instagram Guy TangPara entender como o Olaplex funciona, precisamos primeiramente saber o que a descoloração faz com as madeixas, por isso vou fazer um resumo básico da química capilar. Nossos cabelos são compostos - entre outras coisas - de queratina, uma proteína, que possui um amino ácido chamado cisteína. As cisteínas formam ligações entre si (essas, um dos elementos responsáveis pela forma e a aparência natural dos nossos cabelos). Quando o cabelo recebe um descolorante, elas acabam se rompendo, o que faz os fios ficarem enfraquecidos e quebradiços. Eis que surge o Olaplex, um produto contendo uma fórmula patenteada que promete refazer essas ligações, assim que elas são desfeitas durante o processo de descoloração. Ou seja, o descolorante quebra e, em seguida, o Olaplex vai lá e conserta. Por isso que muitas das fotos de antes e depois os cabelos estão mais danificados antes de descolorir, por que o produto também pode reparar danos de químicas anteriores. Surreal.

Foto reprodução colorgoddessatl

Tá. E a dúvida mortal: existe no Brasil? Primeiramente, o Olaplex é vendido exclusivamente para profissionais, ou seja, nada de querer ficar platinada na pia de casa, lindona. É preciso que o salão de beleza que você frequenta comece a trabalhar com a linha. O site da marca já possui versão brasileira, onde um formulário pode ser preenchido para requisitar a vinda do produto. Então, que tal conversar com o seu cabeleireiro e começar o movimento “Descolorida sim, careca não!“? Eu já fiz a minha parte.

Comentários

  1. Juliana Burton comentou:

    Agosto 24, 2015 às 19:57(#)

    Surreal. (2) preceeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeso disso Braséeeeeel !

Deixe um comentário