Donna Pambila, fofa e sustentável
27 de Março de 2017 . Por Patrícia Pontalti

 

Foto Divulgação

Se tem algo que adoro é visitar as feirinhas aqui em Porto Alegre. Sempre descubro marcas locais muito bacanas, que só vendem neste ambiente tão típico da capital gaúcha. Sério! Acho que tá pra existir outra cidade que tenha tantos bazares, feiras e encontros de rua com roupas, gastronomia, brique, beleza, música e outras experiências. Porto-alegrense ama rua – e ama ainda mais uma feira de rua! Bem… Foi em uma dessas feirinhas que esbarrei na Donna Pambila, uma grife infantil com conceito reciclável.

Foto Divulgação

Já de largada, adorei saber sobre a história por trás do nome da marca, o que me deixo certa da verdade do selo. A designer Pâmela Medeiros me contou que era assim que bisavó chamava ela quando criança. Na hora de pensar em um nome para a marca, Pâmela disse que lembrou da voz da bisa dizendo Donna Pampila. Fofo, né?!

Foto Divulgação

Engajada ao conceito de slow fashion, a estilista cria peças artesanais com tecidos de reuso, com produção local e coleções limitadas. “Tinha que ser especial de alguma forma para essas crianças da Nova Era, muito iluminadas e antenadas. Tinha que, de certa forma, incentivar o consumo consciente para que os pequenos pudessem contribuir e entender a sustentabilidade desde a maneira de se vestir”, comenta Pâmela.

Foto Divulgação

Em busca de novas possibilidades alinhadas à sustentabilidade, Pâmela descobriu o Banco de Tecido, em São Paulo, uma proposta bárbara para reaproveitamento de material. Com os tecidos do banco, surgem produtos únicos, com um toque especial, trabalhados com o carinho do artesanal. As peças trazem referências lúdicas, brincando com tecidos, cores, formas, texturas e aviamentos. Tudo muito confortável e querido, além de lindo. Virei fã! Ah!  Além das criações autorais,  a marca também  conta com o brechózinho personalizado.

Related Posts:

  • Nenhum post relacionado

Deixe um comentário