Nasce a WAS, marca focada no milimalismo e durabilidade
2 de Junho de 2017 . Por aspatricias

Foto: Carlos Contreras

Design atemporal para mulheres minimalistas. Essas são as principais características da marca gaúcha que está estreando. A WAS, criada pela consultora de estilo Tânia Schirmer e a publicitária Luciana Ceccon, traz silhuetas limpas, modelagens clássicas e detalhes funcionais inspirados na arte, na arquitetura e na natureza.

Foto: Carlos Contreras

Com foco em matéria-prima natural, a marca nasce da necessidade de peças mais duráveis e clean, em um mercado em que tudo é tão datado, estampado e com muita poluição visual. A inspiração da label está nos elementos naturais brutos. São eles que dão vida ao conceito da marca: contrapor o excesso proposto pela moda atual.

A coleção de estreia da WAS explora as formas mais clássicas do guarda-roupa. Olha para o passado, presente e futuro para criar peças confortáveis e elegantes. São encontradas peças de alfaiataria em preto e branco, tricô com modelagem ampla e linhas retas, couro e comprimentos mídi. Já os acessórios destacam quartzos, amazonitas, cristais e ágatas em contraste com o metal, tassels de fios de seda e marabus. As cores são utilizadas com moderação, e os detalhes clamam por sutileza.

Foto: Carlos Contreras

A grife atende em seu ateliê, no bairro Moinhos de Vento (Félix da Cunha, 1143), em Porto Alegre, com hora marcada. E através do e-commerce pelo link wasofficial.com. A gente amou!

 

3 formas de usar camisa jeans
4 de Agosto de 2015 . Por Patrícia Pontalti

Sou fã dos clássicos do closet, aqueles de personalidade Bombril, ou seja, 1001 utilidades. Sim. Um bom clássico é uniforme certeiro para dias de pouca inspiração, é perfeito para suavizar combinações muito trends, é ótimo para servir de base de um visual. E um dos meus favoritos é a camisa jeans. Como sou fã de denim, seria impossível deixar essa pecinha de fora do meu top 10 - ah! Este vale outro post mais adiante, tá?! Acho um peça deliciosa, de personalidade descompromissada e chique, essencialmente cool, como você confere nas imagens que selecionei para inspirar o meu e o seu visual. :)

Fotos Reprodução Internet Com calça. Pode ser com jeans, com modelos de couro, de alfaiataria, coloridos, justos ou amplos. Como eu mais curto? Com jeans e calças preta ao estilo boyish. Ah! Também amo camisa jeans com calça branca, pena que não achei nenhuma foto bacana para ilustrar, mas fica a dica assim mesmo.

Fotos Reprodução Internet

Com saia. Adoro usar a camisa jeans para equilibrar peças mais complicadas, como eu chamo aquelas muito barrocas, muito estampadas, muito coquetes. A camisa jeans é o menos que faz mais pelo visual, harmonizando qualquer excesso. E transita com idêntica desenvoltura por vários estilos, do minimalista ao boho, do lady like ao femme fatale. Pode apostar!

Fotos Reprodução

Como temperinho de sobreposições. Sim. A camisa jeans é perfeita para usar sob suéteres, junto ao um bom casaco de alfaiataria e até mesmo com outra peça jeans, em uma cebolinha delícia de tons de indigo (amo!).

Camiseta, o imã entre o chique e o casual
30 de Julho de 2015 . Por Patrícia Pontalti
01tftcamiseta29072015_al

Giorgio Armani já dizia que ela é o alfa e o ômega do alfabeto fashion: a camiseta. O estilista italiano é tão apaixonado pela peça que foi ele que, ao final dos anos 1970, a trouxe para juntinho de elegantes ternos femininos e masculinos, criando a avó das combinações de um efeito que seria recorrente e cobiçadíssimo décadas depois, o high-low, essa mistura entre opostos que nos é gratamente corriqueira hoje. Pois a camiseta é esse imã entre o casual e o chique, o despojado e o sofisticado, o “tô nem aí” e o “caprichei na produção”, o podrinho e o luxinho. E ainda melhor: a t-shirt pode traduzir a personalidade em cada detalhe, seja na cor, na estampa, no fit e até mesmo no estado de conservação – sim, a camiseta e o seu companheiro jeans são algumas das poucas peças que podem ficar melhor e mais charmosas com o passar dos anos.

A primeira camiseta de um closet ideal é a clássica branca, aquela que estreou como outwear em um jovem Marlon Brando no necessário Um Bonde Chamado Desejo (1951), já que até então era “roupa de baixo”. Sim. Antes de Brando e seu Kowalski desfilarem com uma, a t-shirt sempre havia ficado escondida, sob as camisas masculinas. Mas foi Brando e o poder do cinema, aliados à convulsão por novidades do período pós-guerra, que fez da peça um desejo, um fetiche, que chegou primeiro ao guarda-roupa deles para depois conquistar as mulheres. E é exatamente uma camiseta assim, branca, tradicional, a que você tem que ter inicialmente.

É claro que a modelagem dessa camiseta branca pode variar um pouquinho. Há quem goste das mais grandonas, na linha boyish, há quem prefira as mais justinhas e curtas, há quem goste das alongadas, há quem busque decotes alternativos ao básico modelo careca, como os Vs ou os Us…. O certo é que cada mulher vai ter que encontrar a camiseta branca que lhe vestir melhor, a que mais lhe agradar, a que valorizar a sua silhueta. Dicas?! Bem… Decotes abertos vestem melhor quem tem seios fartos, e tecidos mais fininhos tendem a ser mais gostosos e delicadamente femininos.

Depois de escolhida a branca primordial, a gente indica uma cinza mescla e uma preta, versáteis até debaixo d’água.  E essas podem seguir o mesmo modelo que você elegeu para a sua branca ou ter alguma pequena variação. As demais, vão depender do seu estilo, mas, sem dúvida, um modelo estampado com ares vintage – ou vintage de fato – faz muito bem ao visual, assim como uma podrinha, bem destruída, perfeita para descompor looks mais tradicionais. E como usar? Com tudo. Como a gente mostra agora.

Com saia: a gente adora. Use com lápis, godê, evasê, estampada, lisa, curta ou longa. A saia proporciona à camiseta um perfeito toque de feminilidade.

camisetacomsaia

 

Com calça: a gente ama com pantalona de cintura alta, com coloridas, com modelos de couro, com jogging, com as formais, aquelas de preguinhas. Enfim. A t-shirt tira a sisudez de qualquer calça. E combine com saltos altos. Chique, chique!

camisetacomcalca

 

Com jeans: ai, que dupla perfeita. Use com qualquer modelo: skinny, boyfriend, flare, retinha, shorts, saia. Combine com acessórios imponentes para reforçar o glamour.

camisetacomjeans

Com alfaiataria: tem coisa mais bacana do que subverter o tradicional com uma t-shirt? Aposte com blazeres, ternos completos, tailleurs. Sem erro!

camisetacomalfaiataria

Mantô camelo, fino a qualquer hora
2 de Junho de 2015 . Por Patrícia Pontalti

Se tem uma peça que ocupa um lugarzinho privilegiado entre os essenciais que amamos, esta é o casaco camelo, um clássico cheio de personalidade que nos garante elegância na correria, sofistica nossos looks básicos, requinta nossas combinações mais sensuais e nos faz parecer como personagens de um filme francês. Sim. O casaco camelo é um toque mágico de chiqueza no cotiano.

cor camelo foi assim chamada porque os primeiros mantôs eram feitos com pelos do próprio animal, o que garantia um tom igualzinho ao dos bichos desérticos e um toque suave e quentinho. Com o passar dos anos, os casacos passaram a ganhar novas matérias-primas, principalmente a lã, como merino ou mohair. Hoje são produzidos até mesmo com fios sintéticos que mantêm o aspecto da lã e exatamente o mesmo tom do princípio, o charmoso camelo, uma misturinha deliciosa de bege e marrom claro, um caramelo desbotado, um uísque suave, um café com leite mais ácido. Enfim….um camelo.

Os detalhes do casaco podem variar ao gosto de cada mulher: abotoamento simples ou duplo, lapelas largas ou estreitas, com comprimento no joelho ou até os pés, golas discretas ou mais marcantes. O que deve ser observado, sempre, é o fit. Sim. Os modelos de cortes mais sequinhos, mais enxutos, tendem a ter uma vida bem mais longo do que os concorrentes amplos – e ficam bem mais elegantes também, por isso, opte sempre por cortes que contornem a silhueta sem marcar.

unnamed (2)

Quanto às combinações, nosso amigo camel coat é bem democrático. De verdade. Fica lindo com jeans, com peças de alfaiataria, com vestidos levinhos, com tricôs alongados, com calças de couro e blusas de gola alta…. e a lista é praticamente infinita. Nossas favoritas? Com calça jeans e t-shirt bretão, a camiseta listrada; com look inteiro jeans e scarpin; com pretinho básico e botas pesadas; com calças de alfaiataria; com vestidos de tricô; com calças ou vestidos de couro; com roupas estampadas. Ah! Entre os tons mais bacanas para combinar o camel, vermelho/cereja, azul, preto, cinza, amarelo/mostarda, nudes, jeans e branco (camel e branco ficam demais juntinhos). Aposte!

  • unnamed (12)
  • unnamed
  • unnamed
  • unnamed (11)
  • unnamed (10)
  • unnamed (5)
  • unnamed (6)
  • unnamed (7)
  • unnamed (8)
  • unnamed (3)
  • unnamed (1)
Scarpin, um clássico mais do que desejável
30 de Setembro de 2014 . Por Patrícia Pontalti

Reprodução Internet

Falar de clássicos do closet é algo recorrente na vida de qualquer editora de moda. Fato. Não tem como evitar. Eles são base, complemento, resposta às dúvidas do dia a dia. Mas muitas vezes a gente esquece que não são apenas roupas, mas também acessórios e sapatos que fazem a alegria de qualquer lista de essenciais. E hoje a gente apresenta o mais mais de todos eles: o scarpin. Sim. Um bom scparin é como um batom vermelho: levanta qualquer visual e melhora o astral – pode até amenizar TPM, viu?!

Com nome de origem italiana (scarpino é diminutivo de sapato em italiano) e popularizado por um francês nos anos 1940 – sim, foi Christian Dior e seu New Look que fizeram o scparin acontecer -, este sapato de bico comprido faz um belo contorno nos pés, inclusive alongando a silhueta. Ou seja, até emagrece e nos faz crescer, já que colabora para deixar as pernas mais longilíneas. Só atenção: mulheres mais cheinhas devem preferir modelos de saltos médios e mais encorpados, que proporcionam um caminhar mais firme e elegante. Lembre-se: quem está acima do peso deve sempre optar por saltos mais encorpados.

Outra vantagem do scarpin? Pense em um estilo, uma peça, uma biju…Ele combina com tudo ou quase – a gente só não curte muito com visual naturalista. Scarpin fica bem com alfaiataria, com jeans, com vestidos comportados, com saias lápis, com calças jogging, com camisetas, com moletom. É rocker, minimalista, sofisticado, barroco, esportivo. Tem um ar sempre contemporâneo e recebe muito bem cores, texturas e estampas. E pode até ser branco que fica chique mesmo assim. Ou seja, impossível viver sem ele, como a gente confirma nesta seleção de imagens que a gente adora para inspirar você. Ah! Nosso favorito: bico fino, salto médio e confortável e couro/camurça, em preto ou cores vibrantes. Para amar pra sempre!

Com jeans

Fotos Reprodução internet

O jeans é perfeito para tirar o peso social do scarpin. E o scarpin, perfeito para tirar o peso despojado do jeans. Ou seja, nasceram um para outro. Use com saias, calças, macacões, camisas e o que mais sua imaginação fashion permitir.

Com calças

Fotos Reprodução

Para que o scarpin ganhe destaque, o melhor é sempre optar por calças mais sequinhas e curtas. O interessante é que, devido ao decote do sapato, a silhueta se mantém fina e alongada até mesmo com calças. Com cigarrete e skinny, fica lindo, mas só para quem tiver quadril estreitinho, viu?! Para as moçoilas de quadris generosos, calças retas são boas opções, assim como as cobiçadas do verão, as pantalonas curtas, também chamadas culottes.

Com jogging

fotos Reprodução

Esta calça, que remete ao modelo esportivo, é bem complicadinha de combinar com sapatos, mas ficam perfeitas com scarpins. Chique na hora. Prática na hora. Elegante na hora. Mas use sempre com modelos de saltos médios, que coordenam melhor com a calça.

Com vestidos e saias

Fotos Reprodução

Esta combinação não requer muitos argumentos, mas comprova o quanto um bom scarpin é versátil. Fica bem com tudo que é tipo, do lady like ao minimalista. Pode apostar!