Alfaiataria é tema de novo livro de Eduardo Motta
25 de Maio de 2017 . Por aspatricias

Eduardo Motta

Eduardo Motta está lançando o livro Alfaiatarias: Radiografia de um Ofício Incomparável, pela editora Senac. O autor resgata o histórico e o know how da alfaiataria clássica, atualizando-o a partir da sua evolução ao longo das últimas décadas. Através de entrevistas, como com a inglesa Kathryn Sargent, primeira mulher a se estabelecer na Saville Row, em Londres, e com João Pimenta, um alfaiate tão preciso quanto iconoclasta, é traçada uma radiografia dessa sofisticada técnica de construção de roupas que, infelizmente, vem sendo cada vez menos difundida.

No livro, Motta aborda questões de gênero, desmistifica a alfaiataria como ferramenta de renúncia dos homens ao jogo das aparências, investiga o papel das mulheres neste terreno tido como masculino e não evita os conflitos entre tradicionalistas e inovadores, entre artesanato e indústria, que cercam a prática da alfaiataria. O livro cobre o período da alfaiataria vitoriana, moderna,  contemporânea, com uma abordagem diversificada e dinâmica do tema.

Eduardo Motta é consultor e editor de moda, diretor criativo e de conteúdos da Radar - Inteligência e Projetos de Moda. Também é autor dos livros História do Calçado no Brasil: um Olhar Histórico, O Lugar Maldito da Aparência e Meu Coração Coroado: Mestre Espedito Seleiro.

Em tempo: esta semana, mais precisamente hoje, Motta lança o livro no Dragão Fashion, que rola em Fortaleza, no Ceará.  No dia 30, no Moda Documenta, em São Paulo.

Barbante discute moda e autoria
21 de Junho de 2016 . Por aspatricias

barbante-7

A próxima edição do Barbante, um dos encontros de moda mais bacanas de Porto Alegre, acontece hoje e vem com um assunto muitíssimo importante para quem trabalha na área: autoria. A ideia é trazer para o público questões nervosas, como existe espaço para o criador autoral na atualidade? Como o ensino de moda aborda a formação do talento individual e os processos de criação coletiva? Como os grandes eventos de moda lidam com grandes e pequenas marcas? Qual o lugar do autor nos ambientes empresariais da criação de moda? Para ajudar nessa discussão, o debate conta com a mediação de Eduardo Motta, da Radar, e tem como convidados o estilista João Pimenta, de São Paulo, e o designer Cristiano Bronzatto, da marca de sapatos Louloux.

Além da conversa, nesta edição será lançado oficial do projeto Barbante Lab​. Uma parceria entre Barbante (Radar + Pandorga) e o Branding Lab. O projeto tem como objetivo principal promover a cena criativa de moda local. De forma colaborativa, tanto Barbante quanto Branding Lab participarão ativamente do processo de branding + desenvolvimento de coleção/produto + inserção no mercado de novas marcas e serviços de moda.

Bacana, né? Vem saber mais sobre os convidados:

João Pimenta ​é o nome mais radical da moda masculina brasileira hoje. Sua grife foi criada em 2003 e faz parte do line up do SPFW. Nas coleções masculinas, João flerta com o guarda­roupa feminino e com o sem gênero, combinando criatividade e inovação conceitual com as técnicas de tecelagem e acabamentos impecáveis da alfaiataria.

Cristiano Bronzatto é o criador e idealizador da Louloux. Em 2008, foi apontado, pela Camera Nazionale della Moda Italiana, como um dos sete novos talentos no design de sapatos. Em 2011, foi indicado pela ANCI (Associazione Nazionale Calzaturifici Italiani) como upcoming designer, ao lado de nomes consagrados como Phillip Lim e Delfina Delletrez.

A sétima edição do Barbante acontece no Instituto Ling (Rua João Caetano, 440, Porto Alegre), às 20h, e o investimento é de R$70, com vagas limitadas.

Eduardo Motta lança livro sobre Mestre Espedito
6 de Maio de 2016 . Por aspatricias

mestre-espedito-e-eduardo-motta-foto-helio-filho

Hoje, durante o Dragão Fashion Brasil, em Fortaleza, Eduardo Motta lança seu livro Meu Coração Coroado - Mestre Espedito Seleiro sobre a obra do artesão de Nova Olinda. O autor envereda pelas origens da estética do mestre artesão, apresenta várias facetas da obra dele e o resultado de parcerias feitas com outros designers, como os Irmãos Campana, e com marcas de moda, entre elas Cavalera e Cantão. O livro da editora Senac CE é bilíngue, traz imagens espetaculares do fotógrafo Hélio Filho e tem projeto gráfico assinado por Erico Gondim.

na-oficina-foto-eduardo-motta

O jornalista e escritor Xico Sá, autor do prefácio do livro, afirmou: “Achei bonito e importante o que Eduardo Motta anuncia como missão desse projeto: ‘Fui em frente ciente de que há sempre o risco de paternalismo na aproximação com obras e criadores da cultura tida como popular. É o que desnuda a artificialidade da aproximação e não era esse o descaminho que iria trilhar.’ Sim, é sempre um risco cair no folclorismo - no mau uso do termo - ou adotar um filtro exotic. A investigação estética deste volume vale por uma faculdade de design brasileiro. Signo a signo, detalhe a detalhe da criação e recriação do mestre do Cariri, cuja obra em couro ajuda a reinventar a ideia de Nordeste do Brasil.”

Vale a pena conferir!

 

Iriart na Pandorga
11 de Maio de 2015 . Por aspatricias

Foto DivulgaçãoA Radar Inteligência e Projetos de Moda, do nosso querido amigo Eduardo Motta, em parceria com a Pandorga, traz a Porto Alegre Maximiliano Iriart, coordenador da Oficina de Moda do CMD - Centro Metropolitano de Diseño de Buenos Aires.

Iriart especializou-se em imagem corporativa de empresas de design. Por mais de três anos, coordenou as estratégias de visual merchandising e de experiências de compra da PUMA, na Argentina, atuando como coordenador de Mídia e de Relações Públicas. Atualmente,  coordenada a oficina de moda no CMD.

 

Num bate papo descontraído, com mediação de Motta, Max vem apresentar o trabalho do CMD, um espaço inovador que oferece amplo suporte para jovens criadores, e abordar as condições do exercício da autoria na criação de moda contemporânea.

O encontro rola na própria Pandorga da Miguel Tostes, 897, dia 13, das 19h às 22h. Curtiu? Então escreve um e-mail para a Pandorga, oi@lojapandorga.com.br, porque, embora a entrada seja franca, as vagas são limitadíssimas.