Diesel inaugura primeira loja em POA
11 de Maio de 2017 . Por aspatricias

Diesel / Divulgação

A grife italiana Diesel abre sua primeira loja no estado, no shopping Iguatemi Porto Alegre. Quem visitar a loja vai encontrar peças em jeans, couro e acessórios masculinos e femininos da coleção FW16 da marca.

A abertura da primeira unidade na capital gaúcha faz parte dos planos de expansão da label no Brasil. Desde 2012, foram abertas 17 lojas físicas, contando com endereços em todo o país.

A Diesel foi fundada em 1978 por Renzo Rosso, na Itália, e teve o início marcado pela confecção de peças em denim, com inspiração no militarismo, rock & roll e no sportswear. O famoso jeanswear da marca inaugurou, anos depois, um novo segmento no mercado de moda: o jeans Premium. Recentemente foi lançado o e-commerce para o Brasil e as peças da marca podem ser encontradas pelo link http://br.diesel.com/.

 

A joalheria autoral da Viviê Studio
19 de Abril de 2017 . Por aspatricias

Porto Alegre é muito receptiva à joalheria autoral. Tem a galeria - e a obra - Alice Floriano, a grife de Valéria Sá, que assina peças de luxo com materiais reciclados, a escola de joalheria Criatività e muitos outras marcas de originalidade no cenário gaúcho. Um desses selos é Viviê Studio, que cria peças contemporâneas, elegantes e únicas.

Jonatan Cunha / Divulgação

Utilizando materiais como prata, pedras e pérolas, o diferencial fica por conta do design, que abusa de assimetrias e combinações que fogem do habitual. A desproporção, que à primeira vista causa uma estranheza, encontra graça ao combinar texturas e formas geométricas improváveis. Além disso, os materiais são escolhidos a dedo - pedra por pedra. O resultado são joias singulares e estilosas que têm o poder de mudar uma composição.

Vivian Cunha / Divulgação

Vivian Cunha, criadora das peças, é jornalista e trabalhou na área até se desligar do Grupo RBS, onde atuou por nove anos. Foi então que a marca, que antes era um passatempo, se tornou a atividade principal. “O hobby foi crescendo e eu percebi que estava ficando sério quando troquei o bloco de anotações de ideias de pautas da TV que carregava na bolsa por um bloco de desenho para inspirações que surgiam.” As peças podem ser encontradas no Instagram da marca (@viviestudio) e na página no Facebook.

Dia a dia com + sofisticação
17 de Junho de 2015 . Por aspatricias

Julianna Fraccaro estreia esta semana em POA com o desejo de traduzir na alfaiataria os conceitos de sofisticação e versatilidade. Em busca de peças que compõem o guarda-roupa da mulher contemporânea, Julianna desenvolveu mais de 20 modelos: vestidos longos e curtos, pelerines, shorts, blusas, coletes, calças, pantacourts, regatas e saias.

Foto Carlos Sillero/Divulgação

Os tecidos são todos planos, a maioria um misto de seda com bambu e seda com modal. Alguns modelos têm cortes mais retos, embora sempre valorizando as formas femininas. As peças também têm uma cintura um pouco mais alta, alongando a silhueta. A cartela de cores passa pelos clássicos branco, preto e off white, além de tons pastel de rosa e azul. Quatro modelos de bolsas em couro completam a coleção, denominada Lifeaholic, que fala um pouco sobre a maneira da estilista ver o mundo.

Fotos Carlos Sillero/Divulgação

Ah! O jeitinho que Julianna escolheu para apresentar as peças também é todo especial: a estilista visitará  as clientes, em casa ou no escritório, dando também uma forcinha na composição de novos looks. E disso ela entende, afinal, Julianna tem um bom know how nos dois pilares de sua grife. Administradora com experiência de trabalho no mercado europeu, sempre precisou de peças impecáveis para o seu cotidiano. Apaixonada por moda, fez vários cursos na área, incluindo de colorismo e de personal stylist com as queridas do Oficina de Estilo. Sem dúvida, ela entende do assunto. Ficou curiosa? Acessa o www.juliannafraccaro.com.br.

Tricky Hips, frescor à la Califórnia na Pandorga
18 de Maio de 2015 . Por aspatricias

Inspirada pelas paisagens áridas das regiões desérticas da Califórnia, a TrickyHips, grife nascida em São Paulo que chega em POA através da curadoria afiada da equipe Pandorga (Miguel Tostes, 897), mescla referências em t-shirts, regatas, shorts, saias e bermudas, trazendo um toque dos festivais de música, uma pitada de esportes radicais e um quezinho da cultura skate, tudo bem californiano, né mesmo?! A coleção Stay Wild é divida em duas atmosferas: a primeira concentra referências da praia e o inconfundível lifestyle dos locais e visitantes; já a segunda é inspirada no deserto, sua fauna, flora e os festivais de música que acontecem por ali todos os anos.

Foto Divulgação

Os tecidos eleitos são a malha de algodão, a sarja e a tricoline, acompanhando shapes mais alongados e secos. A escolha da cartela de cores reflete o tema, com tons que lembram o pôr-do-sol, entre o laranja e o rosa, além do branco, off white, azul marinho e o khakique, que fazem alusão aos elementos marítimos e tons terrosos. Com duas estampas corridas, uma delas com desenhos de coqueiros e pequenas ondas e outra laranja com desenhos de hibiscos, a marca também criou algumas estampas localizadas, listras exclusivas e uma lavagem marmorizada.

Foto Divulgação

Em tempo: a TickyHips tem cinco anos e o diretor criativo, Lissandro Silva, vem de uma família que sempre conviveu com a moda. Formado em Cenografia, na Escola de Belas Artes da UFRJ, mudou-se para Londres, onde estudou Design Gráfico na Central Saint Martins. Durante o período que ficou por lá, trabalhou como vendedor em lojas e ficou impressionado com a quantidade de marcas com peças interessantes a preços acessíveis. Isso despertou a vontade de voltar ao Brasil e fazer algo parecido. A ideia saiu do papel dois anos depois, e hoje as peças das coleções da TrickyHips são criadas a partir de temas. Ano passado, o estilista Felipe Sosa, que estudou nas principais capitais do mundo, como Barcelona, Buenos Aires e Nova York, ingressou na equipe de estilo. Felipe já passou por marcas de abrangência internacional, como a Track&Field, e agora traz sua expertise para a TrickyHips.

Lulu Guiness, uma paixão
24 de Fevereiro de 2015 . Por aspatricias

De espírito pop e humor delicado, as bolsas da marca inglesa Lulu Guinness são uma paixão secreta dos amantes da moda há algum tempo. Elas são vistas em diversas fotografias de street syle, estão nas mãos das mais conhecidas celebridades – Kate Moss e Katy Perry são apenas algumas das belas que carregam uma pequena Lulu Guinness – e já pintaram em diversos editoriais da Vogue francesa à Teen Vogue. Por que o segredo? As bolsas da marca britânica não possuem grandes logos ou escritos que as identificam como tal. Como saber se uma peça trata-se de um exemplar Lulu Guinness? Um par de lábios vermelhos basta, o querido ícone da marca.

Foto Reprodução Internet

Lucinda James Guinness é a empreendedora por trás da marca que carrega seu apelido e sobrenome, lançando no mercado a primeira leva de bolsas icônicas antes dos 30 anos. A criação que foi responsável por colocar a Lulu Guiness nos holofotes da mídia, em 1989, foi uma bolsa de mão que simulava uma cesta de rosas vintage. Desde cedo a marca provou que, para ser um clássico, não precisa manter-se básica, com a bolsa The Florist Basket, entrando para o acervo permanente da seção da história da moda no museu Victoria and Albert, em Londres.

Foto Reprodução Internet

Lucinda descreve a marca como “weird and wonderful” (estranha e maravilhosa), adjetivos que parecem se contradizer, mas, no mundo de Lulu Guinness, fazem todo o sentido andarem de mãos dadas. As bolsas possuem linhas e contornos atemporais, mas com elementos que acrescentam o toque de estranhamento que tanto conversa com o conceito Lulu. São pequenas bolsas de mão que possuem forros listrados à la Tim Burton; mochilas que ostentam a imagem de mãos com manicures vermelhas impecáveis; clutches estruturadas em formato de lábios rubros; e estampas que de longe parecem ser pintas de dálmata, mas tratam-se das mesmas boquinhas que são assinatura da marca.

Foto Reprodução Internet

A própria designer incorpora o mote da marca homônima, chegando aos 54 anos com o mesmo estilo surrealista e divertido com o qual começou a crias as bolsas que carregam essa mesma descrição. Citando como maior influência a artista e criadora de moda Elsa Schiaparelli, Lucinda faz das palavras da italiana as de Lulu Guinness: “Ouse ser diferente”. Assim, carregando a sua clutch inspirada nos lábios de Mãe West em releitura da Salvador Dali, Lucinda mantém suas bolsas como símbolos de elegância irreverente – um “resumão” do estilo londrino que tem fãs além de qualquer fronteira.